Quem sou eu

Minha foto
Bom, me chamo Leonardo, tenho 21 anos, tenho distrofia muscular, eu escrevo com o intuito de poder de alguma maneira poder passar alguma mensagem positiva do que ja vivi e o que vivo diariamente. Escrever aqui me ajuda muito, espero que o que escrevo ajude quem lê também.

domingo, 20 de novembro de 2016

Eu queria ser tantas coisas
Não ser rico, nem famoso
Mas ser um filho melhor, por exemplo
As vezes estou tão afundado nos meus pensamentos 
Que quando tento me aproximar da família, por exemplo
Acabo me afastando as pessoas sem nem perceber
Mas quem me conhece deve pensar " ué, mas ele é sempre tão alegre"
Eu tento ser sim e na maior parte do tempo, da certo
Mas quando não dá, eu acabo descontado isso em quem não merece
Nos meus pais
Eu me sinto tão mal por isso, mas não é por mal, é que as vezes acontece mesmo

Na verdade eu nem sei porque estou escrevendo, não tenho nenhum motivo em especial hoje, mas talvez o blog se trate disso, não só escrever quando eu tiver alguma lição de vida ou algo de tipo, mas escrever quando me sentir desconfortável, meio solitário, ou sem motivo mesmo, apenas escrever por escrever. Porque é bom :D Enfim, boa noite gente. 

                                    
                               
                                                
                                           ps: Gostei dessa foto :D 

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Horas

Passa-se uma hora
Noto que não fiz nada 
Passa-se um dia 
Percebo que tudo se foi em vão
Passa-se uma semana
Ainda estou aqui sem fazer nada
Passa-se um mês
Tudo continua igual a mês passado
Lá se foi um ano!
E o que eu fiz?!
Fiquei só aqui me lamentando por coisas que eu poderia ter feito
Coisas que tenho vontade de fazer
Planos não realizados
Esse ano vou realizá-los!
Oh não!  Se passou mais outro ano
E ainda estou aqui
Por que?

A vida passa e a gente nem vê. Talvez o momento certo não seja daqui uma hora,uma semana,  um mês, ou um ano, mas sim hoje! E por que não? 

segunda-feira, 18 de abril de 2016

22 anos

Estava querendo escrever algo aqui no dia do meu aniversário... Bem no fim se passaram uns dias e não escrevi nada. Bom hoje resolvi escrever algo sobre eu ter feito 22 anos de idade, no dia 13 de abril...
Bom, primeiro essa idade é importante pra mim pois, quando eu tinha uns 13 ou 14 anos que foi a época que eu e minha família estávamos descobrindo o que era a Distrofia muscular, começamos de fato saber o que eu tinha. Bom, foi uma luta pra saber o que de fato eu tinha, até então muitos médicos diziam que a fraqueza que eu demonstrava era " frescura de filho único" na época a Distrofia muscular era uma doença ainda mais rara do que é hoje, enfrentamos muitos médicos ignorantes, até que finalmente uma médica de um posto de saúde desconfiou do que era e aí que começou nossa luta de ir atrás de mais e mais médicos especializados em genética, um tempo passou eles desconfiavam entre duas distrofias a Duchenne ou a Becker( que é a que eu tenho). Enfim, teve esse médico que disse algo que por muito tempo vinha me atormentando, não só eu mas minha família também.
O que ele disse foi nessas exatas palavras" Quanto tu chegar aos vinte anos, tu ja vai estar na cadeia de rodas e tua vida vai acabar". Depois de dizer esse ele saiu do consultório por algumas instantes, eu na idade que tinha não sabia o que dizer e quando olho pro lado está ali, minha mãe se segurando pra não chorar na minha frente.... Por muito tempo achei que aquelas palavras se tornariam verdade... Hoje aos vinte dois anos paro e penso, realmente ele acertou eu fui parar de fato na cadeira de rodas aos 20 anos, mas não! Minha vida não acabou! E digo ela está cada vez melhor, sabe por que? Porque eu consegui me aceitar do jeito que sou, aceitar que nem tudo na vida são flores, que em certos momentos a gente simplesmente vai querer desistir de tudo, mas que não devemos abaixar a cabeça nunca, mesmo que tudo ao nossos redor diga isso... A primeira vez que sai de cadeira de rodas motorizada na rua, sozinho, me deu vontade de chorar pois percebi o quanto tudo era difícil, quando as pessoas começam a dizer coisas do tipo " por que ele quer sair?" " fica em casa" quando eu pego ônibus, me da ódio do mundo e ainda mais motivos pra largar tudo de mão, desistir de ser feliz. Mas não, eu não posso e nem vou fazer isso, pois a minha vida não acabou e nem vai acabar por causa de alguns obstáculos que eu acho pelo caminho.
Mas por que eu digo que minha vida não acabou depois da cadeira de rodas? Depois dela, eu aprendi a ser humilde com as pessoas, aprendi que vou encontrar muitas pessoas despostas a ajudar qualquer pessoa que precise de ajuda e que também existem pessoas que não estão nem aí se alguém precisa de ajuda, aprendi com as dificuldades a ser uma pessoa melhor e a viver cada momento. Ao longo dessa jornada também adquiri amigos incríveis.
Bom, acho que aquele médico estava errado, minha vida não acabou aos 20, não acabou aos 22 e nem vai acabar enquanto eu estiver vivo porque sempre aproveitarei todo momento ao máximo do jeito que me for possível.
Boa noite

terça-feira, 29 de março de 2016

Tudo bem?

Olá, tudo bem? Depois de tanto tempo se escrever, acabei me esquecendo o porque de eu ter começado a escrever... Fazer bem a mim mesmo? Aos outros? 
  O que quero dizer é, bem eu nem ao menos sei dizer o motivo, depois de tanto tempo dizendo pra mim mesmo e para estranhos e amigos que precisamos ser felizes acima de tudo, eu me perdi, me esqueci como fazer isso. Não sei mais como não desistir, mesmo não querendo simplesmente desistir de tudo.
 Já acordei diversas vezes, apenas querendo dormir de novo, dormir pra sempre, até minhas dores físicas e emocionais sumirem, simplesmente esquecer de tudo. Bem, isso até estava funcionando pra mim. Mas aí, certo dia, saio da camas ás 16, para sair de casa 16:30 e ir pra AACD, sem comer nada, simplesmente não tinha vontade nenhuma, naquele dia eu tinha esquecido de mim mesmo, estava ali mas não estava, fui, fiz o que fui fazer e voltei para casa. Lá estava minha mãe, que claro tinha percebido que eu estava arrasado com alguma coisa, ela não tinha feito nem falado nada antes, mas naquele momento que voltei para casa, ali tava ela na porta, me deu um beijo e um abraço apertado e tinha feito o melhor café da tarde do mundo, que mesmo sem ela dizer eu sabia, que ela fez aquilo pra me alegrar, de fato eu não tinha vontade de comer, mas ao ver aquela cena, me deu uma forte emoção, quase comecei a chorar, abracei minha mãe de volta e agradeci.
 Essa mulher maravilhosa que é minha mãe nem deve ter percebido o bem que me fez naquele dia, isso me faz lembrar, que mesmo quando eu tiver perdido todas as forças, ela e todos que me amam, vão estar ali comigo, do jeito deles, as vezes até mesmo sem saber o quanto são importantes.
 Sendo assim, por que têm dias em que eu acordo do mesmo jeito? Bem, eu não sei, simplesmente estou tentando viver dia após dia para entender isso. Boa noite.

domingo, 27 de dezembro de 2015

Pensamentos

Olá, nossa fiquei muito tempo sem escrever aqui... Não sei o motivo exato, só andei meio distante, mesmo sem sair do lugar, sabe quando tu está num lugar, mas tua mente está voando por aí? Pois então, isto têm acontecido bastante.  Bom mas não é sobre isso que vou escrever hoje...    
A Distrofia muscular, é algo que está comigo desde o dia em que nasci e vai ir junto comigo, dia após dia vou perdendo partes da minha força, vou tendo que me adaptar à mim mesmo, conhecer meus limites, saber que haverão coisas que fisicamente são inviáveis para mim, saber lidar também com o emocional. Que é a parte mais complicada, admito... Por mais que eu sempre esteja de bem, é complicado tu ver jovens da tua idade praticando esportes que tu sempre teve vontade, ou pior ver pessoas que têm condições físicas para fazer qualquer atividade e não dão a mínima, não que eu tenha algo com isso, mas são pensamentos que me passam as vezes. Nisso também entra a questão da autoestima. "Como um cara que ta sempre sentado, consegue sair sem ser visto como um coitado?"  Já passou por minha mente essa frase.
Sabe, é muito comum ver pessoas em cadeira de rodas que simplesmente perdem a vontade de se arrumar.. Com o tempo aprendi também, que não é porque to na cadeira que vou deixar de por uma roupa que gosto, de me arrumar, se alguém pensar alguma coisa ruim, azar o dela.
Enfim nesse texto eu apenas quis por alguns pensamentos que estavam aqui em minha mente...
Ah! E lembre-se: Ser diferente é muito legal, use isso a seu favor e não contra 
Boa noite ;)

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Tempestade

Sempre que se inicia uma tempestade,  os pensamentos voam em nossas mentes,  nossos medos e angústias, nesse momento,  estão prontos para nos dominar.
Mas mesmo em meio à toda chuva,  vento e trovões que acontecem em uma tempestade não podemos nos deixar enlouquecer,  por mais difícil que pareça precisamos saber dominar nossos sentimentos que afloram e eaperar que a calmaria venha... Nesse momento tudo que pensamos durante a tormenta foi superado... Assim é essa tempestade que  também pode ser chamada de vida.

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Embreagado

Embreago- me
De sentimentos
Muitos deles
Nostalgicos
Embreago- me
De memórias
De um tempo
Que não volta mais
Ao mesmo tempo
Fico entorpecido
De realidades
Entorpeço- me
De novos sonhos.